Soundwich | Carapaus de Comida

Brunch

Soundwich

28 Ago , 2015   Galeria

Ora cá está mais um estaminé dos muitos que fazem parte da minha lista dos “a visitar”, que isto parece que a pessoa anda sempre em festa mas mesmo assim não dá conta do recado – o Soundwich abriu há uns três anos na zona rural do Parque da Cidade, com um conceito inovador: tratava-se de um estaminé cuja oferta consistiria em sandes (o que é banal) mas sandes pensadas por Chefes de renome (e aqui reside a originalidade, que o Stash só haveria de surgir um par de anos depois e, ainda assim, não mescla as criações de especialistas diversos). E é justamente esse conceito que ainda não havia experimentado e que, lamento se abri o apetite a alguém, continuo sem experimentar, uma vez que o que nos levou ao Soundwich naquele domingo foi mesmo o brunch.

Na verdade, estávamos divididas entre três espaços e combináramos que o nosso critério seria meteorológico: se São Pedro nos brindasse com um dia dos bons, escolheríamos o Soundwich, como acabou por acontecer (permanecendo os outros na lisa supra mencionada). Na verdade, este é um dos sítios onde apetece estar, em dias com sol e temperaturas amenas: tanto o espaço reservado ao restaurante como o dedicado aos bruncheiros ficam ao ar livre, protegidos por panos e vastos chapéus-de-sol que proporcionam a sombra sensata de que mesmo uma lagarta como eu precisa.

A coisa é simples: à chegada à sublime casa de lavrador muitíssimo bem recuperada, e quando indicamos a reserva efectuada, pagamos os 15€ correspondentes ao buffet; depois, é descer a meia dúzia de escadas que conduzem ao espaço do brunch, entrar nas duas divisões onde estão dispostos os vários pratos e ser feliz. Numa das salas, jazem as sobremesas, que são compostas eminentemente de bolos secos (e foi por aqui que comecei, que eu sou menina para espreitar os finalmentes mal chego); na outra, a granola e o leite, o pão e as bolachas salgadas, a salada (rúcula, alface e tomate, por temperar), os frios (queijos e fiambre assado), a bola e os croissants, a sopa (de tomate-coração-de-boi e imperdível!, informaram-nos), as quiches, os crepes, as bebidas e os quentes – lasanha de legumes e  tomate com beringela e pepino, por um lado, e ovos mexidos, bacon, linguiça e salsicha fresca, por outro.

Servimo-nos abastadamente, que isto de andar sempre a levantar e a sentar cansa, e fomos degustar de tudo um pouco e pôr as vidas em dia. Para beber, escolhemos limonada e sumo de melancia e morango que, na verdade, era um batido destas frutas que estava estupidamente denso, pelo que agradecemos a oferta de gelo, por parte de quem nos pareceu a responsável pelo sector brunchístico. De resto, e começando pela sopa, esta não cativou em absoluto, desde logo porque o facto de não terem retirado as pevides ao tomate tornava-a demasiado ácida; depois, porque não estava de facto quente, o que foi uma pena, porque prometia.

As quiches cumpriram, sem deslumbrarem, mesmo porque não se percebia bem quais seriam os ingredientes principais; os queijos e o fiambre assado souberam lindamente, bem como as bolachas salgadas e a regueifa cortada fininha. Os croissants eram francamente bons: frescos, baixinhos e húmidos, como se querem. Os crepes atraíam à primeira vista mas a opção de acompanhamentos resumia-se a compotas que não me apelaram de todo (cadê o mel ou o xarope de ácer?!), pelo que acabei por não os provar, mesmo porque já não estavam macios. A bola caseira estava uma perfeição, recheada de enchidos de qualidade, e ambos os pratos vegetarianos estavam uma especialidade: o tomate com a beringela e o pepino constituíam combinação feliz e a lasanha estava estupenda, excelsamente recheada e muito saborosa. O mesmo, infelizmente, não posso dizer dos quentes de tradição anglo-saxónica: os ovos mexidos estavam já rijos e frios, como frio estava o bacon e as salsichas.

No campo das sobremesas, como havia previsto, não fui arrebatada: havia um bolo de laranja muito bom (tão cheiroso como gostoso), um bolo de chocolate que parecia melhor do que sabia, um bolo de ananás demasiado massudo e farinhento e umas areias de Cascais que não me convenceram (e se eu sou fanática por estes biscoitos…). Também havia fruta mas, caramba, a pessoa tem de prescindir de alguma coisa para poder provar o máximo.

Ao contrário de Super Bocks, Coca-Colas e quaisquer outras bebidas que não as disponibilizadas (que são pagas à parte), o café está incluído no menu de brunch, pelo que assim terminámos o nosso repasto. Se a coisa vale os 15€ pagos? Olhem, se eu quiser ser miudinha provavelmente não, mas só o facto de desfrutarmos de um sítio tão agradável levou-me a considerar que sim – mesmo porque podemos comer o que nos apetecer, as vezes que quisermos, dentro do nosso turno (o brunch é servido às 11H, 13H e 15H), se bem que entrámos pelo turno das 15H adentro e ninguém nos expulsou. É que, quer queiramos quer não (e discutíamos isso mesmo à mesa), as boas companhias e os bons ares também fazem os bons apetites.

Soundwich

Morada: Parque da Cidade, Avenida do Parque 595, Porto
Telefone: 223 228 117
Horário: Qua a Sex – 12h00 às 19h00 | Sáb e Dom – 10h00 às 19h00
Aceitam reservas? Sim

No Zomato
Click to add a blog post for Soundwich on Zomato
Não Se Esqueçam de Deixar os Vossos Comentários
E vocês, já experimentaram o Soundwich? Deixem-nos os vossos comentários no fundo da página. Obrigado!

The following two tabs change content below.
Ana Andrade

Ana Andrade

Agridoce, de tempero forte e gargalhada salgada.
Ana Andrade

Latest posts by Ana Andrade (see all)

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,


4 Responses

  1. Maat diz:

    Fui lá em dia de brunch e acabei por preferir experimentar as sandwiches. Por este relato, se calhar não me arrependo. Não fiquei fascinada. As sandwiches eram boas. Um bocado overpriced, mas boas. Para a próxima experimento as saladas.
    Se fores lá de novo, não podes perder a mousse de lima. Eu, que nem gosto muito de doces de citrinos, achei deliciosa.

    • Ana Andrade Ana Andrade diz:

      Hmmm, nunca seria uma escolha, para mim, em termos de sobremesa, sou mais dada a coisas enjoativas e fortes, devo confessar. :)
      Ainda não experimentei as sandes, mas um destes dias fá-lo-ei. Não me arrependo de ter ido ao brunch, de todo, havia coisas boas e o dias estava muito agradável – globalmente gostei da experiência. :=

  2. Maat diz:

    ah, e também não achei o serviço fantástico. e a colher que me trouxeram para a mousse vinha mal lavada. não sei se ficaram com a mesma impressão.
    mas estavam praí uns 30 graus e estava cheio, por isso vou dar-lhes uma segunda oportunidade..

    • Ana Andrade Ana Andrade diz:

      Não tivemos esse azar, não: tudo limpinho e janota. :)
      Achámos o serviço pouco profissional, um nadinha atabalhoado, mas nada que nos chocasse.

Deixar uma resposta