Comemorámos esta semana o quinquagésimo estaminé visitado (venham outros tantos!) e, adicionalmente, estamos a proceder ao encerramento da temporada, em jeito de série televisiva, que nós não somos menos que qualquer CSI de vão de escada. Trocado por miúdos, o que isto significa é que os Carapaus vão de férias por três semanas e, nesta medida, sem fugir ao tema eleito para o mês de Agosto (“Beira Rio”), escolhemos o D. Tonho, cujas referências eram bastantes para que soubéssemos que fecharíamos a nossa Season I, se não em êxtase, ao menos em beleza. Read more

Restaurante Filha da Mãe Preta | Carapaus de Comida

Foi ao ritmo de sons brasileiros e com o colorido dos tons de Verão que chegámos à margem norte do rio Douro. Como se um gesto de boas vindas se tratasse, actuava um grupo de capoeira, rodeado de transeuntes, turistas e passeantes de fim de dia (além dos Carapaus que por ali passaram, a caminho de mais uma incursão ordinária). A trupe era constituída pelos Carapaus residentes AA e eu próprio, a IP, a MAA e a RV a comporem o resto do Cardume.

Em Agosto dedicado a estaminés que se situem à beira-rio, escolhemos para esta semana o restaurante Filha da Mãe Preta, local badalado e bem afamado, na marginal do Cais da Ribeira, com a Ponte D. Luiz I e V.N. de Gaia do outro lado, como fundo. Fizémos, como é habitual (e como sempre aconselhamos o nosso querido Cardume a fazer), reserva uns dias antes. Tentámos que a reserva fosse feita para as 20h mas foi-nos pedido que comparecêssemos às 19h45. Depressa percebemos, já no local, que o pedido teria sido feito antecipando a enchente de turistas que se veio a verificar por volta da hora por nós escolhida. Read more

Novo mês, nova temática: Agosto será dedicado a restaurantes à beira rio (Douro) e, no dia em que comemorámos seis meses de existência (a incursão que deu origem à posta inaugural, sobre a trilogia Bufete Fase/Sincelo/Bonaparte, aconteceu a 1 de Fevereiro), juntámos os quatro Carapaus fundadores e mais uns amigos e fomos festejar ao restaurante Tia Aninhas, ali na Rua do Senhor da Boa Morte, freguesia de Lordelo do Ouro. Trata-se de uma tascósia (na nomenclatura do Cardume: restaurante-tipo-tasco-onde-se-come-bem-e-barato-como-a-gente-gosta) com cerca de cem lugares que se dividem por duas salas, entre o rés-do-chão e o primeiro andar, propícia a jantares de grupo (desde que marcados com tempo e negociados em termos de iguarias a servir) ou a quem gosta de comer comida portuguesa bem (que não excelentemente) confeccionada, a preços muitíssimo decentes. Read more

Estava programado há muito: no dia em que fôssemos à conquista do Gerês, o jantar seria no Restaurante Abocanhado, em Brufe (Terras de Bouro), conhecido tanto pela sua gastronomia (tipicamente portuguesa, enfatizando a qualidade dos produtos da zona) como pela sua arquitectura e modo sublime como foi integrado na paisagem por quem o desenhou (a dupla António Portugal e António Maria Reis, premiados em 2005, em Miami, pelo feito). Inaugurado em 2006, é, desde então, local de peregrinação por parte de devotos desta coisa do bem comer, que lá vão propositadamente para saborear as iguarias e desfrutar do espaço. Esta vossa criada (imaginem uma vénia cheia de salamaleques) já lá fora em Setembro último, e para parte da nossa vasta comitiva o estaminé não era novidade mas nem por isso nos entusiasmou menos. Read more

A ocasião era a celebração do aniversário da RM. À data e hora marcada lá se juntaram os amigos e começou a festarola. O local escolhido pela aniversariante foi o Ginjal do Porto, ali mesmo no início da Rua do Bonjardim, onde esta se cruza com a Rua de Gonçalo Cristóvão, onde se encontra o edifício do Jornal de Notícias (passe a publicidade).

Estava reservada para o grupo de (à volta de 20) comensais, uma sala privada, no andar de cima daquele restaurante da Baixa portuense. O Ginjal do Porto é um espaço pleno de carácter. As paredes são forradas a livros de escola de outros tempos, desenhos a carvão e rolhas, muitas rolhas. A decoração é à moda antiga e de muito bom gosto, o que confere àquele estaminé um aspecto de casa típica tripeira, que resitiu aos tempos e aos ventos. Read more

Restaurante Antunes Porto | Carapaus de Comida

O repto foi-nos lançado há já muito tempo pelo ZM: “vão ao Restaurante Antunes, na Rua do Bonjardim, comer pernil e beber Espadal”. E nós, que tardamos mas não falhamos e, sobretudo, somos Cardume bem mandado (quando a dica vem de fonte segura), lá fomos: em mês de incursões pela baixa do Porto (que nesta altura do ano já costuma pulular de gente gira pela noite dentro mas, com este tempinho de que nem Carapau gosta, nem por isso), o Restaurante Antunes, ali mesmo no centro de tudo, numa rua pejadinha de estaminés a pedir incursões gastronómicas, vinha mesmo a calhar. Read more

Todas as semanas, à Quarta-Feira, temos incursão ordinária. Entre Quartas, ansiamos e falamos sobre, como não podia deixar de ser, comida. É assim a vida de Carapau: uma vida de prazeres gastronómicos (e outros, vá)! Esta semana, respeitando o tema “Restaurantes na Baixa do Porto”, escolhido para este mês,  decidimo-nos por um Estaminé na Travessa do Carmo, pertinho do Piolho e da Cremosi. O cardume estava bem compostinho: a nossa RV voltou depois duma semana de descanso gastronómico e fomos acompanhados pelas já veteranas IP, MAA e AB. Read more

Tudo começou com um artigo publicado na Notícias Magazine do passado fim de semana, “100 Coisas que o Porto Tem“, onde figurava uma centena de itens que, segundo os jornalistas responsáveis, diferenciam a Invicta e fazem dela a cidade que mereceu o título internacional de Melhor Destino Turístico de 2013. Os Carapaus haviam já decidido dedicar as quatro incursões ordinárias do mês de Junho a restaurantes da Baixa e A Cozinha do Manel, que constava de tão distinta lista, parecia ser uma óptima forma de encetar a epopeia (apesar de, pela primeira vez, termos o Cardume desfalcado em 33%, porque elas não matam mas moem e nem todos os estômagos são de ferro: põe-te fina depressa, RV!). Read more

Restaurante A Cozinha da Maria | O Exterior

É já a segunda vez (a primeira, aqui) que dois terços dos Carapaus (AA e RV) aproveitam o aniversário de um amigo, em restaurante que constitui novidade, para fazer uma incursão do cardume, ainda que desfalcados de 33,3333…% dos seus membros. Desta feita, o PM o convidou e lá fomos, sempre de máquina em riste e iPhone para as notas, e com presentes à tiracolo, que havia 32 anos a festejar. Read more

Restaurante O Malheiro

A ocasião não poderia ser melhor: o primeiro aniversário da IG. Domingo à noite, o que aconselhava alguma moderação visto estar a nova semana à porta; grupo de gente que gosta (e sabe) comer, beber e divertir-se. Um restaurante com reputação de servir do muito e do bom. Estavam reunidas (e estiveram) as condições para uma incursão muito bem sucedida.

Tenho para mim que estaminé que receba figuras de destaque do desporto, asseguram à partida dois valores: boa comida e bom atendimento. O Restaurante O Malheiro não foi excepção à regra. Estava na sala a equipa de futebol profissional do CD Nacional, da Madeira, depois de vitória farta, um pouco mais a sul, em Aveiro. Saíram de lá bem recompensados. Eles e nós… Read more