Artigos

Home Sweet Sushi | Comida Japonesa | Porto | Carapaus de Comida

Foi por intermédio da Zomato que, volta e meia, mima este Cardume com uns magníficos vales para refeições em restaurantes-parceiros, fomos conhecer o Home Sweet Sushi, estaminé já instalado em Lisboa e muito recentemente chegado à Invicta, especialista em sushi (em regime de take away). De todo o modo, sem pretendermos soar, de todo, a ingratos, a verdade é que, mesmo sem a Zomato, teríamos experimentado o serviço do Home Sweet Sushi mais dia menos dia, seja porque não resistimos a novidades, seja porque adoramos sushi, seja (finalmente) porque este estaminé escolheu uma localização que jamais nos seria indiferente.

E, a este respeito, permitam-me desde já que rejubile com o sítio escolhido pelo Home Sweet Sushi para se instalar, mesmo ali à babujinha da Rotunda de Francos e do Estádio do Bessa: passo por ali em, pelo menos, metade dos meus dias, porque fica num dos caminhos que uso para ir de casa para o trabalho (e, sobretudo, no sentido inverso), pelo que se me afigura como local que visitarei amiúde, nos dias em que me apeteça enfardar os rolinhos de inspiração japonesa.

Mas e, ó Carapaua AA, onde é que enfias os estaminés matosinhenses onde ias até agora (é espreitar aqui ou aqui, só para aludir aos mais procurados por mim), em busca de sushi mais ou menos bom e estupidamente barato? – perguntam bosselências, com pertinência. E eu respondo, que não sou de me acanhar com interrogações inteligentes: mantenho-os no mesmo sítio e recorrer-lhes-ei quando me apetecer sushi de qualidade bastante aprazível mas sem grandes pretensões, e não pretender gastar mais do que uma nota de dez euros. Já quando quiser umas peças mais elaboradas e pagar um nadinha mais por menos quantidade (porque, por vezes, privilegio a qualidade), irei ao Home Sweet Sushi.

Na verdade, para além da localização (já referida), do horário simpático (abrir às 17h e fechar às 22h permite-me lanchar ajantaradamente sushi, naqueles dias em que saio às cinco, sem ter de esperar, avidamente, pelas 19h – hora a que a concorrência abre), o que o Home Sweet Sushi tem de vantajoso é mesmo a qualidade: o peixe usado é fresquíssimo e mais diversificado (em 18 peças, encontrei salmão, atum e o que me pareceu robalo), as peças são mais originais e generosas em termos de recheio, a apresentação é mais cuidada e aprazível e o sashimi tem um tamanho que se apresenta.

Por outro lado, e aqui reside a grande novidade, para além da simpática equipa que atende ao público e dos sushi-men (que ali estão, na salinha onde somos recebidos, com um balcão à esquerda e a registadora ao fundo), há uma outra, de estafetas, preparados para fazer entregas gratuitas (na cidade e arredores) – e isto é altamente atraente, já que, nesta matéria e, sobretudo, neste segmento de preços, esta nova chafarica quase não tem concorrência no Porto.

Há, no entanto, uma grande vantagem na deslocação ao restaurante (que não tem lugares sentados nem está preparado para servir no local, porque não é esse o conceito em que se inserem): com uma compra, eles oferecem dez peças de sushi quente, que é muitíssimo bem amanhado. De resto, esta é a única exceção o que o meu purismo (pouco consistente) permite, pelo que foi de nariz torcido que vi as peças portadoras de morangos, já que dispenso sempre estas frutinhas quando se trata de comida japonesa – permito-me, inclusivamente, a sugestão de virem a pensar num menu para os que desprezam com vigor estas modernices ocidentais, mantendo obviamente o que atualmente praticam, para quem as aprecia.

Cumpre-nos ainda dar conta de que o molho de soja vem muitíssimo bem acondicionado, em frasquinhos de plástico e que cada menu individual traz 18 peças de sushi e sashimi (deste último, naquele dia, apenas duas, mas de tamanho anormalmente generoso, pelo que valem por quatro). Porque conversámos sobre o assunto com a gerência, é de referir ainda que os menus são iguais entre si (o que não me parece, de todo, desvantajoso) e, finalmente, uma outra realidade, para lá de boa: na compra de quatro ou mais menus, o preço de cada um desce para 10€ (menos 3€ por menu), o que convida imensamente aos jantares de amigos.

Vai daí? O Home Sweet Sushi está de parabéns por ter vindo para a Invicta, já que promete (e cumpre!) bons apetites para os maluquinhos do arroz-colante.

[rwp-review id=”0″]

Home Sweet Sushi | Porto

Morada: Rua François Guichard, 3
Localidade: Porto

Telefone: 220 971 253
Horário: Seg a Qui – 12h30 às 14h30 e 19h00 Às 22h00 | Sex a Dom – 12h30 às 14h30 e 19h00 às 22h30
Aceitam reservas? Sim

No Zomato
Home Sweet Sushi Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato
Não Se Esqueçam de Deixar os Vossos Comentários
E vocês, já experimentaram o Home Sweet Sushi? Deixem-nos os vossos comentários no fundo da página. Obrigado!
Tokyo Sushi | Senhora da Hora | Carapaus de Comida

Gente do peixe cru e do arroz pastoso, esta posta é todinha para vocês: não sei bem como se deu um processo, mas houve um belo dia no Outono de 2013 em que, algures pelo Facebook, tomei conhecimento de que tinha aberto uma nova chafarica de sushi na Senhora da Hora (junto ao metro, no n.º 1453 da Av. Calouste Gulbenkian), e que os preços seriam irreais de extraordinários, para peças tão boas. Não é que eu desconfie do julgamento alheio, mas gosto de formar opinião depois do bandulho cheio, pelo que, na primeira oportunidade, fui lá verificar. Read more

Descendo a Avenida da Boavista em direcção ao Castelo do Queijo, encontra-se o Restaurante Tokyo, do lado direito, dentro do Centro Comercial Boavista. Não é um espaço com o glamour que outros estaminés têm mas nem por isso um que valha menos a pena visitar. A sala é ampla, com largo espaço entre as mesas e talvez isso o torne um espaço frio, pouco convidativo. De realçar que o parque é gratuito durante uma hora ao almoço e duas horas ao jantar. Read more

Sushi em Tua Casa Porto | Carapaus de Comida

Passou-se que esta semana foi dominada pela gripe e esta vossa criada, com a nobre excepção do trabalho (porque os há daqueles onde é o próprio quem decide que mais vale trabalhar doente do que acarretar com a acumulação que adviria de uma falta por doença), enfiou-se em casa, no quentinho, a tentar recuperar o fôlego que uma valente carraspana levara. Ora o que sucede é que a ideia de que a gripe ou as constipações levam o paladar ou tiram o apetite não passa de um mito, desafiado por esta carapaua, que raramente perde o primeiro e não sabe o que é ficar sem o segundo. Read more

Churrasqueira Monte dos Burgos | Carapaus de Comida

O Dia de São Valentim é um dos dias mais importantes no calendário dos estaminés. É fácil perceber porquê, especialmente se alguma vez tentaram descobrir um restaurante com mesas livres naquela noite. Confessamos que, embora a Churrasqueira Monte dos Burgos estivesse na nossa lista de chafaricas a visitar, não estava planeada para o dia em que lá fomos. O Plano A estava a abarrotar e como não queríamos esperar, resolvemos dar asas ao Plano B, a Churrasqueira Monte dos Burgos. Read more

Volta e meia fazemos incursões ao almoço, nomeadamente a estaminés de sushi, visto que o preço é normalmente mais baixo. É o caso do Ya Geer, que visitámos na Sexta-Feira. Aquela chafarica fica ali na Avenida Menéres, do lado esquerdo, pouco antes do Minipreço, em Matosinhos. Read more

Sushi Boy | Nagoya Odivelas

Imagine-se uma tarde cinzenta, invernosa e caseira  (porque não me atreveria a sair para a confusão de um domingo a dois dias do Natal), onde incluo leituras e muita preguiça, mesclada pela necessidade do trabalho, que não se compadece de períodos festivos. Decido presentear-me com um repasto dos bons (antecipando o des-gosto dos pratos tradicionais da época, que não me aquecem nem arrefecem) e relembro o conselho já antigo do JC: “quando estiveres por Lisboa e te apetecer sushi, liga para o Sushi Boy: é bom, barato e entregam em casa”. E eu, que sou bem mandada e, sobretudo, não desperdiço bons conselhos, aproveitei um dia sem refeições familiares e tratei do assunto. Read more

Carapau que é Carapau não resiste a uma boa dica, sobretudo de quem gosta de sushi tanto como o Cardume (e não, entre peixes não existe o conceito de canibalismo): assim, mal a SPC (coadjuvada pela PG, o JM e o CT, depois) nos falou de um novo take-away de sushi em Matosinhos, ficámos imediatamente de barbatana no ar. E como não somos de deixar para amanhã o que podemos fazer hoje, lá rumámos ao destino. Read more

Sabor Fresco | Sushi Matosinhos | Carapaus de Comida

Carapau que é Carapau gosta é de juntar o cardume principal e membros honorários e ir fazer incursões por essa Invicta e arredores fora (para já); mas infelizmente não o podemos fazer diariamente, sobretudo porque nos restaurantes do burgo ainda não aceitam pagamentos sob a forma de sorrisos gratos, abraços calorosos, ou mesmo de lavagem de loiça (por que não?). Vai daí, há que optar por outras modalidades: cozinhamos nós mesmos (quase sempre, sendo que se trata de episódios imunes à auto-crítica) ou, em dias de extravagância, lá vem uma pizza ou um sushi. E se aquelas são fáceis de encomendar ou ir buscar, sendo que há já meia dúzia de (boas) casas por onde escolher, estamos muito mal de take-away e entregas ao domicílio de sushi (no Porto, porque em Lisboa a coisa já mudou de figura): quem entrega em casa, é bom mas caríssimo; quem é janota e barato, obriga a que levantemos a cauda do sofá e nos desloquemos até à Avenida da República (por pouco tempo, mas adiante, já lá vou), em Matosinhos. Read more