Artigos

Parte I – Confissão de Carapau
A verdade é que, na terceira semana do mês temático, dedicado à gastronomia internacional, percebemos que, quando demos por adjudicada esta ideia, não contámos com alguns factores que nos são agora óbvios, a saber:
a) a oferta de restaurantes que pratiquem (com seriedade) a cozinha internacional é mínima (em nada comparável à de Lisboa, nem sequer em termos relativos, facto que não se compreende) o que não só nos limita a escolha, como nos leva ao ponto seguinte;
b) sendo a oferta diminuta (excepção feita para o sushi), os preços praticados são quase proibitivos – e se somos Carapaus e não Tubarões, é porque os nossos rendimentos de cardume assalariado não nos permitem grandes vôos (isso é para outro tipo de peixe);
c) ou seja: armámo-nos em Carapaus de corrida em três dos quatro restaurantes escolhidos (dos quais já visitámos três) e quase ficámos tesos que nem Carapaus, pelo que urgia encontrar um sítio onde a relação qualidade/preço nos reequilibrasse as finanças – mesmo porque sabemos que a nossa freguesia, embora comparável aos mais belos peixes dos oceanos (e água doce!), também não andará propriamente a nadar  (faltava-me este trocadilho para levar à loucura qualquer adepto do bom gosto) no vil metal. Read more

Os Carapaus estão no seu primeiro mês temático dedicado à gastronomia internacional. E como não podia deixar de ser foram a um restaurante indiano.

A escolha não se apresentava fácil. A oferta não é grande mas as opiniões são contraditórias. Foi fácil decidirmos que fugiríamos de restaurante “franchisado” procurando um restaurante mais personalizado. Optámos por pedir ajuda a um conhecido indiano que nos aconselhou o Thali, na Rua da Fábrica nº 34, em pleno centro do Porto. Também fez referência ao restaurante Mendi, Av. Da Boavista junto ao hotel Sheraton, no entanto, optámos pelo primeiro porque fomos informados de que sairia mais em conta. Read more

A propósito da comemoração do aniversário do SS, amigo comum das carapauas AA e RV, fomos na passada 5ª feira jantar ao Requinte, em Matosinhos. Segundo o aniversariante, a escolha recaiu sobre este restaurante porque, do seu ponto de vista, a apreciação desta francesinha é consensual, apesar de não ser considerada, pelos amigos e conhecidos que a provam, como a favorita.

O Requinte fica em pleno centro de Matosinhos, no nº 837 da Rua do Godinho, entre a Câmara e a Igreja Matriz. Não possui local para estacionamento próprio; contudo, à hora do jantar, durante a semana e fora de épocas festivas, encontra-se facilmente lugar nas redondezas. Read more

E eis que se fazia tempo de nova incursão (a propósito, e fiquem com uma notícia em primeira mão, que os nossos fregueses merecem ser os primeiros a saber!: as saídas do cardume passaram de quinzenais a semanais, pelo que as postas serão doravante mais e, tendencialmente, melhores – pelo menos assim o esperamos!).

Desta feita, escolhemos um estaminé bem pertinho da casa de todos, a conselho da CC (carapau honorário, embora ainda não praticante com este cardume) , reiterado pela RV, que já é uma espécie de cliente esporádica da casa: O Buraco, ali na Rua do Bolhão (aquela que desce do Silo Auto), é casa afamada por corresponder à díade bom & barato, mas nós somos curiosos e quisemos provar para crer. Read more

Bufete Fase

Antes de mais, o ser humano é bicho que gosta de deixar umas palavrinhas em momentos de inauguração (muito provavelmente, o resto da bicharada também, a malta é que não os percebe), pelo que não poderia deixar de dizer que é um prazer pertencer a este cardume que se predispôs, à mesa, a encetar este projecto – o que implica continuar à mesa, coisa que nunca é de somenos.

Vai daí, sejam bem vindos os que nos lêem. Nós prometemos comer, beber e contar-vos como foi. Read more